Advertising

Recife: uma cidade sem sentido


A cada nascer do sol, o recifense se depara com uma surpresa no trânsito. Desta vez, foi na Madalena, Zona Oeste do Recife, na entrada da Praça João Alfredo, logo ao lado do Museu da Abolição, no sentido subúrbio-cidade. O acesso ao local apareceu interditado por gelos-baianos, sem qualquer justificativa para a ação.

A interdição só aumenta os transtornos para o pouco comércio que ainda restou na área e para os moradores da via que, há anos, tentam vender seus imóveis e não conseguem, em virtude às mudanças ocorridas anteriormente no trânsito. 

Outros muito prejudicados são os moradores da rua Hermógenes de Morais, que a partir de agora, para entrarem na rua, estão obrigados a enfrentar um grande e congestionado percurso, utilizando a Avenida Visconde de Albuquerque, que devido a má sinalização e falta de agentes de trânsito no cruzamento com a Rua José Osório, vem se tornando inviável de se trafegar.

"É questionável a sabedoria da engenharia de tráfego da CTTU. Como se poderá chegar às residências, ao comércio e até mesmo ao Museu da Abolição, visto que a via é estreita e mal dá para se passar um carro, muito menos para se fazer manobras! Teremos que entrar de ré? E os comerciantes como terão suas lojas abastecidas?" indaga, revoltado, J.D.S.N., morador do local.

Em tempos, às mudanças do trânsito nas imediações vem piorando a cada dia. Depois da implantação do giro livre à esquerda, no cruzamento da Visconde de Albuquerque com a José Osório, motoristas e moradores da região pedem alguns ajustes na via. 

Para Paulo Jenner, que trabalha na Rua José Osório, a CTTU deixou livre o acesso à esquerda na via, porém, colocou uma pequena placa branca, impossível de ser visualizada à distância, em qualquer horário do dia, sem sinalização luminosa (sinal), corroborando para imprudências por parte dos motoristas "espertinhos", fazendo com que o giro à esquerda, nunca esteja livre. 

Além da buraqueira que toma conta do local, calçada totalmente quebrada, pondo em risco os pedestres que não têm onde esperar para atravessar a via, péssima sinalização horizontal, os motoristas não visualizam onde realmente fica a faixa de pedestre e a ausência de agentes de trânsito dá margem a inúmeros casos de transgressão às normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)

Outra mudança solicitada pelos moradores, é para que o direcionamento do trecho da Rua Lopes de Carvalho, no sentido Avenida Visconde de Albuquerque, tenha sentido único de saída, com placa nesta rua de proibido cruzar a Av. Visconde de Albuquerque, uma vez que diversos acidentes vem ocorrendo com frequência e os motoristas imprudentes retardam o trânsito tentando cruzar a via. 

A reportagem entrou em contato com a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife - CTTU, mas não recebeu retorno.

Nenhum comentário