Advertising

Não escovar os dentes pode aumentar risco de disfunção erétil


Homens que não escovam os dentes pelo menos duas vezes ao dia estão até três vezes mais propensos a sofrer de disfunção erétil, aponta uma revisão de estudos publicada no periódico científico Journal of Sexual Medicine. O motivo para esse aumento no risco seria a gengivite – doença odontológica causada pela falta de escovação. Segundo os pesquisadores chineses, os problemas estão conectados porque ambas são causadas pelo mesmo tipo de inflamação que afeta os vasos sanguíneos. 

Segundo a pesquisa, quadros de gengivite e impotência sexual são causados pelo mesmo tipo de inflamação nos vasos sanguíneos: um aumento no nível da proteína C-reativa (CRP, na sigla em inglês) no organismo. A substância é produzida no fígado e indica a ocorrência de processos inflamatórios .

A CRP também encontra-se elevada em homens com doença cardíaca, o que segure que os danos são causados inicialmente aos vasos sanguíneos menores, como os encontrados no pênis e na boca, antes de afetar artérias maiores.

Higiene bucal versus disfunção erétil

A revisão de estudos realizada pela Universidade de Jinan, na China, analisou cinco pesquisas, totalizando mais de 200.000 homens analisados. Os resultados mostraram que a gengivite pode aumentar em 2,85 vezes a probabilidade de indivíduos do sexo masculino apresentarem dificuldade para ter uma ereção. A pesquisa acrescenta mais evidências de que a má higiene bucal pode afetar o desempenho sexual do homem e trazer outras consequências para a saúde.

Esta não é a primeira vez que são apresentadas evidências sobre a associação entre saúde bucal e desempenho sexual. De acordo com revista Men’s Health, em 2016, cientistas turcos sugeriram que homens com disfunção erétil correm um risco três vezes maior de desenvolver doença periodontal em comparação com aqueles que não apresentam problemas penianos. A explicação: à medida que os dentes apodrecem, o sistema imunológico ataca os patógenos presentes na boca. As bactérias, então, se infiltram na corrente sanguínea, danificando o fluxo de sangue que circula pelo corpo, assim como os vasos sanguíneos.

Outro estudo publicado no ano passado pela Universidade de Granada, na Espanha, revelou resultados similares: quase 74% dos homens que relataram problemas de desempenho sexual tinham gengivite. Já naqueles sem o problema, apenas 58% apresentaram a doença bucal.

Segundo um relatório da British Dental Health Foundation, uma das principais instituições de caridade independentes de saúde bucal do mundo, informa que 4 em cada 5 homens com disfunção erétil severa têm doença periodontal. “Isso pode se tornar um alerta para que os homens comecem a prestar mais atenção à própria saúde bucal, particularmente as gengivas.”, disse Nigel Carter, CEO da Oral Health Foundation, no Reino Unido, ao Daily Mail.

Da Redação/ Veja

Nenhum comentário