Notícias em Destaque

Morre Gena, ídolo do Náutico e Santa Cruz nos anos 70



O futebol pernambucano perdeu um dos seus maiores campeões. Faleceu na noite desta segunda-feira, aos 75 anos, em decorrência de uma infecção no abdômen, o ex-lateral-direito Genival Costa de Barros Lima, conhecido como Gena, ídolo de Náutico e Santa Cruz. 

O ex-jogador estava internado há 15 dias. Formado nas categorias de base do timbu, Gena participou dos quatro últimos dos seis títulos do lendário hexacampeonato pernambucano obtido pelo Náutico nos anos 60. A sequência vencedora continuou após sua transferência para o Santa Cruz, quando esteve presente em quatro dos cinco títulos do pentacampeonato coral nos anos 70. 

A identificação com os dois clubes foi tão grande que Gena teve seu nome homenageado em forma de troféu, no ano passado, na comemoração do centenário do Clássico das Emoções. Com uma vitória por 3 a 1 no Arruda, o Náutico acabou ficando com a taça. "Conhecia Gena desde a época de juvenil no Náutico. Ele era um jogador muito hábil e técnico e que chegou a ser comparado com Djalma Santos (ex-lateral da seleção brasileira, campeão do mundo em 1958 e 1962). 



Ele chegou a ser negociado com o Botafogo, mas o Náutico não aceitou a transação e melou o negócio. Caso ele tivesse ido, certamente teria chegado à seleção brasileira", recordou o jornalista Lenivaldo Aragão. "Gena foi ídolo tanto no Náutico, quanto no Santa Cruz. Tanto que ia ao Arruda e aos Aflitos e era até hoje muito bem recebido pelas duas torcidas", completou. Até às 22h desta segunda-feira, a família ainda não havia definido o local do enterro de Gena.

Homenagem Por conta do falecimento de Gena, a diretoria do Náutico decidiu confeccionar para o amistoso de reabertura dos Aflitos, contra o Newells Old Boys, no dia 16 de dezembro, um troféu em homenagem ao ex-jogador. O clube alvirrubro também decretou luto oficial.

Do Super Esportes

Nenhum comentário