Notícias em Destaque

Altino Ventura fecha unidade em Arcoverde


Funcionando há mais de 10 anos numa das principais cidades do Sertão pernambucano, a Fundação Altino Ventura anunciou esta semana o fechamento da sua unidade em Arcoverde. O motivo, segundo a diretoria da instituição, é a falta de repasse do governo do Estado de Pernambuco, desde maio de 2017 (18 meses). Hoje, a dívida ultrapassa a casa dos R$ 18 milhões. 

Com o fechamento da unidade de Arcoverde, mensalmente, mais de 1300 pessoas, de 13 municípios do Sertão do Moxotó e Agreste deixarão de ter atendimento especializado, além de não terem acesso a medicamentos e agendamento de cirurgias.

Em nota, a instituição que existe há mais de 30 anos, agradeceu à população arcoverdense, explicando o real motivo do encerramento das atividades no município. Leia.

A Fundação Altino Ventura (FAV) agradece à população de Arcoverde e mais 13 municípios do Sertão do Moxotó e Agreste pelo carinho que sempre acolheu suas equipes de trabalho, que tanto fizeram pela população desta região, ao longo de mais de 10 anos.
É com coração apertado que a instituição comunica o fechamento da filial Arcoverde, devido à falta de repasses de recursos da Secretaria Estadual de Saúde – SES-PE, cujo débito soma, hoje, R$ 18,5 milhões.
O POA (orçamento aprovado pelo estado) de Arcoverde e Salgueiro também continua sem ser pago, desde maio de 2017 até junho de 2018 (13 meses), totalizando R$ 4,6 milhões.
A FAV é uma entidade privada sem fins lucrativos, que atua como rede complementar ao Sistema Único de Saúde – SUS do estado de Pernambuco, e depende do repasse do governo.
Apesar de diversas tentativas de negociação junto à SES, e mesmo após intermédio do Ministério Público Estadual – MPPE, a Secretaria de Saúde não saldou os acordos firmados. Essa situação também foi comunicada oficialmente ao Ministério da Saúde.
Em agosto de 2018, a diretoria da FAV teve reunião com representantes das prefeituras de Arcoverde e Salgueiro, propondo a formação de um consórcio intermunicipal para custear os serviços com recursos das prefeituras da região.
Sem apoio, a FAV informou à Prefeitura de Arcoverde que a unidade encerraria suas atividades por falta de recursos financeiros.
Diante da falta de repasse por parte do governo estadual, a FAV está restrita a 35% de sua capacidade operacional, deixando de oferecer serviços fundamentais à população que tanto necessita.
Em 32 anos de existência, a instituição já superou a marca de 13 milhões de beneficiados.
A FAV é um patrimônio do povo pernambucano, e reafirma seu compromisso de combater à cegueira na população desassistida.

Nenhum comentário